top of page

Escritórios de advocacia serão híbridos no futuro, aponta especialista.

Apesar dessa tendência de migração para o universo virtual, nem todos concordam que o futuro da advocacia será apenas remoto.

Já faz mais de um ano desde que entramos no regime de distanciamento social, que somente agora parece começar a ser flexibilizado.


A pandemia vem se mostrando um grande desafio para todas as indústrias e setores, e com o direito não é diferente.


Para lidar com as vicissitudes de nosso tempo, escritórios de advocacia e departamentos jurídicos ao redor do mundo estão migrando suas atividades inteiramente para o formato digital.


Apesar dessa tendência de migração para o universo virtual, nem todos concordam que o futuro da advocacia será apenas remoto.


Esse é o caso de John Watkins, diretor de empregabilidade da ULaw. Para Watkins, os escritórios de advocacia do futuro serão “mesclados” (blended), ou seja, desempenharão tanto atividades online quanto presenciais.

Escritórios de advocacia serão “híbridos” no futuro


Antes da pandemia, os círculos jurídicos refletiam com certa parcimônia sobre os benefícios do trabalho remoto.


No segmento, poucos profissionais realmente adotavam dispositivos tecnológicos em seus escritórios.


Agora, muitos perceberam que o modelo online possibilita realizar várias atividades no conforto do lar, evitando o desperdício de tempo com deslocamentos desnecessários.


Entretanto, apesar dos inúmeros benefícios do online, o formato virtual impede a necessária interação “cara a cara” com os clientes.


Segundo Watkins, reunir-se com as pessoas continuará sendo imprescindível para ajudar na criação dos vínculos de confiança tão necessários para o êxito de um negócio, mesmo após a pandemia.

Online e presencial, a coexistência no cenário pós pandemia


De acordo com John Watkins, os modelos online e presencial coexistirão no mundo pós-pandemia.


Um operador do direito terá a oportunidade de atender hoje a um cliente por meio de videoconferência e, em outra oportunidade, fechar o contrato de honorários na sede do escritório, e vice-versa.


Como parte das reuniões continuará sendo virtual, no futuro vislumbrado por Watkins, os operadores do direito deverão se aprimorar em suas habilidades de comunicação.


A confiança dos advogados e clientes será desenvolvida, em quantidade significativa, por meio de webcams. Sendo assim, é essencial que os profissionais do direito aprendam a se comunicar.


Apesar de muitos especialistas colocarem todas as suas fichas no formato digital, John Watkins nada contra a maré e sugere um meio-termo para o futuro dos escritórios de advocacia.


Conclui-se, portanto, que, para ele, os escritórios de advocacia serão “híbridos”, operando parte de suas atividades online enquanto outra parte é realizada no modelo presencial.


Se esse prognóstico se efetivará ou não, só o tempo pode responder.

e-Xyon, o futuro é hoje


Como vimos anteriormente, a pandemia provocou um verdadeiro abalo sísmico em diversas esferas, e o direito não é uma exceção.


Uma das principais alterações decorrentes desse período foi a aceleração da adesão de muitas tendências tecnológicas por parte de escritórios e departamentos jurídicos. Ou seja, o futuro já chegou!


Pensando nisso, nós da e-Xyon desenvolvemos uma série de produtos e serviços que têm como objetivo inserir, agora, seu escritório nesse futuro mais tecnológico.


Um desses serviços é a captação de andamento dos tribunais, que permite a conversão de andamentos em prazos para toda a equipe interna.


Se ficou interessado, não deixe de conhecer nosso portfólio, você não vai se arrepender!


Caso tenha achado o tema debatido ao longo deste artigo interessante, e deseje se aprofundar ainda mais sobre os rumos e o futuro da advocacia, não deixe de ler nossos artigos semanais.


2 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page