top of page

A expectativa para 2022 é de crescimento das demandas por startups.


stratup tecnologia
Startups de tecnologia vêm crescendo nos últimos anos

Não é de hoje que o uso de ferramentas tecnológicas faz parte do dia a dia dos advogados.


Porém, com a pandemia do novo Coronavírus (Covid-19), escritórios e operadores do direito que ainda resistiam a ela, tiveram que se adaptar.


Nesse cenário, as lawtechs e legaltechs despontaram no mercado, e ao que tudo indica a demanda deve crescer para essas startups.


Com a obrigatoriedade de migração do presencial para o online, surgiram simultaneamente novas necessidades tanto do público em geral quanto dos advogados.


E, como a função das lawtechs e legaltechs é facilitar as rotinas dos escritórios, oferecendo mais eficácia a quem precisa de serviços do segmento, ninguém melhor do que elas para desenvolver soluções alternativas para atuação do mercado jurídico em face do “novo normal”.


Apesar das barreiras levantadas pela pandemia, o futuro das lawtechs e legaltechs parece promissor. Mas o que fazem essas empresas e como elas inovam o mercado jurídico? Para responder a essas e a outras perguntas, escrevemos o artigo abaixo.


Lawtechs e legaltechs: como essas empresas inovam o mercado de startups


Antes de nos aprofundarmos no tema sugerido neste subtítulo, é válido compreender o que essas empresas fazem, levando em consideração que o modelo de atuação de cada uma é bastante distinto.


Enquanto as lawtechs se dedicam a desenvolver soluções para o público em geral usando a tecnologia, as legaltechs criam ferramentas direcionadas para o dia a dia dos advogados.


A diferença entre lawtechs e legaltechs em linhas gerais acaba sendo irrelevante, devido ao fato de que ambas promovem o mercado jurídico em sua totalidade.


Entretanto, é importante entender a atuação dessas empresas, uma vez que o Código de Ética da Ordem do Advogados do Brasil (OAB) prevê que as atividades privadas do advogado não podem ser realizadas por essas startups.


Atualmente, tanto lawtechs quanto legaltechs estão oferecendo uma série de vantagens para o mercado jurídico. A redução de custos para o advogado e o aumento da produtividade sem perder a qualidade na prestação dos serviços, são apenas alguns dos exemplos de vantagens que essas startups promovem por meio de sua atuação.


Com as ferramentas e os recursos criados por essas empresas, os advogados conseguem aperfeiçoar a própria rotina, tornando seus serviços mais atraentes.


Da mesma maneira, o público em geral ganha com acessibilidade, fazendo com que soluções jurídicas sejam simplificadas e tenham maior transparência quanto aos seus procedimentos.


O futuro das lawtechs e legaltechs


Até o período que antecedeu a pandemia, as lawtechs e legaltechs vinham evoluindo de maneira progressiva. Porém, como o mercado jurídico é bastante tradicional, muitos operadores ainda resistem à adoção de ferramentas e recursos tecnológicos.


Esse quadro mudou com o advento da pandemia. Nesse novo cenário, o advogado se viu forçado a acelerar um processo de digitalização que já estava em curso em muitos escritórios de advocacia. E, ao contrário do que era esperado, mesmo usando ferramentas que não eram novas, a adaptação ao home office gerou entraves e desafios.


Isso porque a adoção de ferramentas tecnológicas em um ambiente remoto requer também a criação de uma nova cultura corporativa. E, nesse sentido, mesmo escritórios que já usavam ferramentas como softwares jurídicos, por exemplo, se viram perdendo qualidade e produtividade nesse processo de migrar totalmente para o digital.


O que aprendemos com a pandemia é que não basta apenas enviar o time de advogados para o home office, é necessário investir em engajamento, comunicação eficiente, entre outros detalhes.


O novo cenário, apesar de próspero para lawtechs e legaltechs, também representa desafios. Afinal, essas empresas devem investir em questões como usabilidade das ferramentas e acessibilidade, para ganharem espaço no mercado.


Hoje, operadores do direito já notaram que ferramentas sozinhas não fazem o escritório. Por isso, é necessário que elas se adaptem facilmente à realidade de quem as opera, para que se tornem mais eficientes.


Apesar dos desafios, a inovação e a criatividade que estão no interior das lawtechs e legaltechs podem ser a saída para que muitas dessas empresas se desenvolvam e conquistem de vez seu espaço no mercado.


e-Xyon o futuro é agora


Como vimos no artigo acima, a tecnologia já é uma realidade no mercado jurídico, e essa tendência só tende a se intensificar.


Por isso, nós da e-Xyon desenvolvemos o nosso software jurídico, pensando em otimizar as rotinas do seu trabalho.


Não deixe seu escritório relegado ao ostracismo, visite nosso site e conheça nossos produtos.


Se você gostou do artigo acima e deseja se aprofundar ainda mais sobre o assunto, então não deixe de ler nossos artigos

7 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page