top of page

Tecnologia Jurídica: OAB RJ e SP abordam impacto das inovações na advocacia.

Entre os diversos temas abordados estavam inovação, visual law e o estímulo ao uso das tecnologias pelo setor. Saiba mais no artigo.

conselho da oab
OAB do Rio e São, promovem eventos focados em inovação tecnológica no meio jurídico.

Na última semana, ocorreram dois eventos promovidos pela Ordem dos Advogados do Brasil do Rio de Janeiro e de São Paulo.


A Comissão de Direito à Educação da OABRJ promoveu, na última quinta-feira, dia 10 de Agosto, a 1ª jornada jurídica.


O evento teve o objetivo de levantar debates interdisciplinares para o Direito, como as áreas de marketing, tecnologia, comercial e financeiro.


Foram presença marcada grandes nomes do setor jurídico e empresarial e mediado pela da CEO da Future Law e doutoranda pela USP, Tayná Carneiro.


A OABSP promoveu a Jornada Cultural que contou com a presença do Vice-presidente, que ministrou uma palestra sobre os impactos da revolução digital na prática jurídica.

Continue lendo para saber mais.



Inovação, Visual Law e estímulo ao uso das tecnologias


Entre os diversos temas abordados na jornada jurídica, estavam inovação, visual law e o estímulo ao uso das tecnologias pelo setor.


Tayna Carneiro falou sobre inovação no setor jurídico.


Os temas que a gente discute sobre inovação precisam ganhar ainda mais projeção. Precisamos alcançar, conhecer, compartilhar, desenvolver e produzir conhecimento, de forma coletiva e ainda mais acessível. Acreditamos que um espaço como esse nos possibilita tal objetivo”, garantiu.


Rafael Soriano, gerente jurídico sênior do Grupo Globo, iniciou seu painel reforçando a importância da multidisciplinaridade para garantir clientes e a manutenção da qualidade de trabalho.


“O conselho que eu dou é o seguinte: advogado, tenha uma conversa com seu cliente para entender a situação e pensar em como melhorar seu atendimento. Quando a gente fala das possibilidades da carreira jurídica com o avanço das tecnologias, são enormes! Você percebe, por exemplo, que precisa ter um designer no seu time, ou uma empresa que entenda de visual law no seu escritório, te apoiando para entregar algo diferente. Isso pode fazer com que seu cliente siga te contratando ou te mantenha no portfólio dele”, apontou.


Complementando o assunto comunicação jurídica e o poder das ferramentas, o co-CEO da Quark Legal Design, Fellipe Branco, utilizou elementos visuais para demonstrar a importância do design para a advocacia.


“O visual law tá muito centrado no design da informação. A gente melhora a legibilidade do documento ou faz ele continuar com a formalidade, mas sem ser difícil, e adapta para o leigo".


No tema “o futuro da advocacia”, a professora Kone Cesário falou sobre estímulo à inovação na profissão.


Para ela, é de extrema importância inserir às tecnologias e inovações, ainda na fase de aprendizado, para que o ensino jurídico deixe de ser retrógrado.


“O advogado precisa sair apenas dos cursos legais e os cursos legais precisam trazer mais advogados para a sala de aula. Precisamos pensar numa formação multidisciplinar”.



O mercado busca advogados com conhecimentos tecnológicos.


O Vice-presidente da OAB SP, ministrou durante a jornada cultura, uma palestra sobre os impactos da revolução digital na prática jurídica.


“Não tem alternativa para ser um advogado bem-sucedido, que não usar a tecnologia”, diz Leonardo Sica”


Na palestra Soluções para a Advocacia na Revolução Digital, diversas questões foram levantadas, como por exemplo: A advocacia deixará de existir? Será substituída pelas máquinas? Como usar a tecnologia a favor da prática jurídica?


“Todos pensamos, em maior ou menor grau de aflição, em como a tecnologia vai afetar o nosso dia a dia e em como usar a tecnologia para ser mais competitivo, mais eficiente e entender melhor as pessoas que nos procuram. O que fez o ser humano prevalecer na face da Terra foi sua capacidade de coletar dados e transmitir informações. Essa é a história da humanidade, foi assim que o homo sapiens prevaleceu. Ter medo disso é lutar contra a nossa própria evolução. A tecnologia aplicada à informação é natural para nós, o que nos perturba é a velocidade. Antes, a evolução era feita de maneira progressiva e agora é exponencial”, disse Sica.


Sica separou as tecnologias aplicadas ao setor jurídico em dois tipos: tecnologias de sustentação e tecnologias disruptivas.


Segundo ele, as tecnologias de sustentação são aquelas que aprimoram a maneira como uma profissão é exercida, mas não a modificam.


Já as tecnologias disruptivas são as que desafiam e mudam a funcionalidade do setor.


Ele exemplificou com o caso da Kodak, grande empresa que produzia máquinas fotográficas, mas por não se atualizar com o advento dos telefones celulares com câmera, decretou falência em 2012.


O palestrante deu exemplos de tecnologias disruptivas que já são utilizadas na prática do Direito, como os softwares de automação de documentos que, através de algoritmos e Inteligência artificial, elaboram contratos.


Também foram citados os softwares que leem processos e separam as informações mais relevantes para a causa, como a tecnologia da Inovai, empresa do grupo Hyon Par, que através de automação realiza a classificação causa raiz (objeto ou motivo) de processos judiciais, a partir do documento da petição inicial, utilizando algoritmos de inteligência artificial (machine learning).


Por último ele citou os softwares que fazem a resolução online de disputas.


Para finalizar, Leonardo Sica trouxe uma reflexão: “É possível que o futuro da nossa profissão pertença às pessoas mais capazes de trabalhar em parceria e colaboração entre pessoas e máquinas. Só vai evoluir quem evoluir junto com as máquinas. Os valores distintivos do profissional do Direito são a empatia, a imaginação, a subjetividade, o desafio. A inteligência artificial interpreta e aprimora, mas ela não desafia. Pessoas e máquinas podem trabalhar de maneira simbiótica. Não tem alternativa para ser bem sucedido que não usar a tecnologia.”


Conheça as tecnologias jurídicas que auxiliam no dia a dia dos advogados


O papel desempenhado pela tecnologia na advocacia tem ganhado crescente relevância, provocando uma transformação fundamental na forma como os profissionais do direito conduzem suas atividades.


Nesse cenário em evolução, surge um conceito intrigante: a advocacia 5.0.


Esse conceito engloba a sinergia entre inteligência artificial, automação e análise de dados, resultando em uma abordagem que eleva a eficiência e a precisão das práticas jurídicas a patamares nunca antes imaginados.


Veja 10 tecnologias jurídicas que tiveram impacto profundo sobre a prática da advocacia, abrindo portas para novas possibilidades e aprimoramentos significativos.


Softwares de Gerenciamento de Documentos


Softwares de gerenciamento de casos e documentos simplificam a organização e proporcionam acesso rápido a informações relevantes, como documentos legais, correspondências e notas de reuniões.


Esse avanço não só reduz erros humanos e falhas operacionais, como também melhora consideravelmente a eficiência operacional.



Plataformas de Pesquisa Jurídica


Plataformas de pesquisa jurídica online e bases de dados digitais permitem que advogados acessem rapidamente casos, decisões judiciais, leis e regulamentos, economizando tempo e custos com mão de obra e fornecendo argumentos mais fortes e sólidos.


Software de Automação de Tarefas


Por meio de softwares, a automação de tarefas rotineiras, como preenchimento de formulários, elaboração de documentos padrão, geração de contratos e cálculos jurídicos, economizam horas de trabalho e reduzem bruscamente a quantidade de erros humanos.


É o caso do Cadastro Automatizado da Inovai, empresa do grupo Hyon Par.


Inteligência Artificial (IA)


Ferramentas e plataformas de inteligência artificial, são cada vez mais usadas na área jurídica.


Seja para realizar a na análise de documentos e identificar padrões, fornecendo insights que contribuem com a previsão de resultados judiciais ou para capturar novos processos no momento da sua distribuição, trazendo dados da inicial do processo através da leitura por mecanismos de machine learning.



Legaltechs


As “legaltechs” ou “lawtechs” são startups voltadas para tecnologia jurídica e vêm revolucionando a prática legal.


Com os mais diversos tipos de serviço, elas oferecem soluções inovadoras para os desafios enfrentados pelos profissionais do direito, abrangendo desde a resolução online de disputas até cálculos jurídicos automatizados.


O Grupo Hyon Par é composto por lawtechs e legaltechs que atuam em diferentes áreas.


A e-Xyon desenvolve tecnologias de dados para auxiliar departamentos jurídicos e escritórios de advocacia.


A Inovai que desenvolver soluções de automação e inteligência artificial no segmento jurídico, com especialização em análise automática de documentos e dados não estruturados.


E a E2E, empresa de BPO(Business Process Outsourcing) jurídico, que oferece soluções eficientes para instituições financeiras.


Jurimetria e Legal Analytics


A Jurimetria e o Legal Analytics através da análise de dados, auxilia os advogados a identificar tendências legais, compreender padrões de decisões judiciais e até mesmo prever resultados futuros, fortalecendo assim a tomada de decisões fundamentadas e estratégicas.


e-Xyon: Há mais de 20 anos desenvolvendo tecnologias para o setor jurídico.


Há mais de 20 anos no mercado, nosso objetivo é aprimorar os níveis de gestão no segmento jurídico, através de engenharia da qualidade, softwares, inteligência de dados judiciais e automação de processos, trazendo eficiência, produtividade e ganho para nossos clientes.


Contamos com um Big Data próprio de mais de 180 milhões de processos judiciais que representam um espelho do Judiciário brasileiro, possibilitando uma visão focada e especializada dos cenários de nossos clientes.


Visite nosso site e conheça nossas soluções.


36 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page